<$BlogRSDUrl$>
.

HitdaBreakz

1/04/2007

Zombi: Dawn of the Synth


Image hosted by Photobucket.com
Os Zombi são os responsáveis por um dos mais impressionantes registos de 2006, o álbum Surface to Air. Duo composto pelo baixista e teclista Steve Moore e pelo baterista A.E. Paterra, os Zombi pediram o seu nome emprestado à versão italiana de Dawn of the Dead, o clássico de George Romero que os italianos Goblin tão bem interpretaram musicalmente. Os Goblin são, obviamente, uma das suas mais fortes influências, mas não a única. Nomes como Tangerine Dream, Giorgio Moroder, John Carpenter, Pink Floyd e até, segundo eles mesmos, Van Halen são certamente referências importantes para o trabalho deste duo.
Além de Surface to Air, de onde retiraram o EP Digitalis, os Zombi editaram já uma antologia de eps de circulação muito limitada em 2005 e o álbum Cosmos (em 2004). Há igualmente algum trabalho para bandas sonoras a ter em conta e, sobretudo, intensos concertos que parecem ter já adquirido estatuto mítico. Em palco, Moore, Paterra e um verdadeiro arsenal de tecnologia analógica articulam-se na construção de uma música poderosamente evocativa que referencia as culturas prog e kraut clássicas, algumas estratégias do pós-rock e uma sensibilidade visual muito particular que, como os Zombi explicam no seu site, pretende despertar em cada pessoa as suas próprias interpretações e que, por isso mesmo, não necessita de projecções. O grupo concede no entanto que se um dia tivesse dinheiro gostaria de experimentar os efeitos de um verdadeiro show laser em palco.
As edições dos Zombi são sempre extremamente limitadas e algo complexas de arranjar, mas valem bem a pena o esforço de localização. Com tanto de vintage como de futurista, o som dos Zombi é uma bem vinda anomalia no presente.

Em baixo fica um par de amostras do som dos Zombi linkado directamente do seu site oficial.

Orion (áudio)
Twilight Sentinel (áudio)